Rage Against the
Machine

condena violência contra povo indígena no Canadá

Sempre politizados

Como mostrado em toda carreira, Rage Against the Machine aproveitou a plataforma que tem para fazer discurso político.

Críticas ao Canadá

A banda formada por Zack de la Rocha, Tom Morello, Tim Commerford e Brad Wilk exibiu uma mensagem com intuito de protestar e condenar violência contra povos indígenas no Canadá.

Foi no Bluesfest

Na apresentação da última sexta, 15, no Bluesfest em Ottawa, capital do país, o grupo colocou a seguinte mensagem em uma das telas do palco.

O que eles disseram?

A mensagem no telão dizia: “Um indígena no Canadá tem 10 vezes mais chances de ser baleado e morto por um policial do que um branco," em referência a uma investigação da CTV News.

Mais dados

Além disso, Rage Against the Machine também mostrou outro dado preocupante no país norte-americano: “No Canadá, mulheres e meninas indígenas têm 16 vezes mais chances de serem assassinadas ou desaparecerem do que as mulheres brancas.”

Isso é novidade?

Essa notícia vem logo após fãs descobrirem que Rage Against the Machine sempre falou sobre política nas letras e atitudes - e criticaram bastante.

Política está no cerne

O grupo nasceu politizado: foi inspirado pela herança mexicana e a xenofobia vivida pelos integrantes, e nasceu com letras de protesto. Além disso, os integrantes participam frequentemente de protestos políticos e outros ativismos. 

Rage Against the Machine
condena violência contra povo indígena no Canadá

LEIA MAIS!

CLIQUE AQUI

Créditos: Dan Kitwood / Equipe (Getty Images)
Texto: Felipe Grutter
Edição: caroline duarte
Supervisão: Vitor Balciunas

CLIQUE AQUI